NOTAS BIOGRÁFICAS E CURRICULARES DA AUTORA

Cleunice Orlandi de Lima

Nasceu para estudar, ler e escrever. Mais nada!

Seu primeiro romance foi escrito aos dez anos de idade, quando morava em Cedral, SP.

Na época, os adultos não valorizavam a criatividade infantil – ao contrário, quando ela se punha a desenhar, a pintar, a ler ou a escrever, era tida por inativa e surrada. Às meninas estava reservado o fogão, o tanque, a máquina de costura, a vassoura. Jamais a caneta, o livro, o pincel.

Ela se diz teimosa. Dir-se-ia hoje, que foi perseverante, mas ela se denomina teimosa mesmo. Tão teimosa, que lia e escrevia às escondidas, muitas vezes embaixo da cama a fim de não ser flagrada.

Foi a terceira filha, a filha sanduíche, espremida entre três outros cheios de qualidade. A mais velha era lindíssima, delicada, caprichosa, excelente costureira e bordadeira, excelente cozinheira de forno e fogão e doentinha de fazer dó. Em seguida vinha o irmão que, por ser menino, não precisava nada mais; sendo homem estava completo. Depois, ela. Abaixo outra menina lindíssima de cabelos encaracolados, portadora dos mesmíssimos predicados da mais velha, exceto quanto à saúde.

Entre tais modelos, eram mais notados seus aspectos negativos. Cleunice destoava em todos os aspectos: feia, sardenta, gorda, desajeitada, cheia de saúde e indolente. Não teve status entre os irmãos. Não era a mais velha, nem a caçula, nem o menino da casa; não era bonita, nem delicada, nem doente; não suportava o trabalho doméstico. Nada de interessante, nada que fosse digno de elogios, nada que pudesse fazer inveja.

Seus estudos foram penosos, os pais a queriam dona de casa Só estudou porque os pais queriam que o filho-homem estudasse. Mas o filho era tímido e não se encorajava a enfrentar o ginásio em outra cidade, entre crianças desconhecidas. Daí, o problema: como fazer pra que ele estudasse e se formasse em alguma coisa?

A solução veio do próprio irmão. Cleunice ouviu quando ele, em resposta às insistências da mãe, respondeu: “Por que a Nice não estuda também? Ela tem vontade de estudar e não serve pra nada mesmo. Se ela for comigo, eu topo.”

Pulando de alegria, a menina acompanhou o irmão nos estudos. Mas mãe frisou: “Você só vai até que seu irmão pegue impulso. Depois ele continua e você sai.”

Ela aceitou. Estudar era o seu sonho! Que importava se depois tivesse de abandonar a escola? Depois era depois.

E lá foram eles, ao Ginásio de Uchoa e depois, para a Escola Técnica de Comércio D. Pedro II, em S. José do Rio Preto. O irmão acabou abandonando os estudos. Teimosa como ela só, Cleunice bateu o pé: “Se ele quiser parar, que pare sozinho.”

E a menina continuou teimando e foi em frente, em meio à pobreza material, às críticas e às surras quase diárias.

Acabou a 4ª série ginasial (hoje, 8º série de 1º grau) e aí, chorando, teve de abandonar a escola.

Como não era íntima do fogão nem do tanque, precisou trabalhar fora. Foi catadeira de café, operária em fábrica de balas, balconista em bar, em loja, em armazém e, por fim, auxiliar de enfermagem. Foi aí que conheceu Otávio, o futuro marido e incentivador de seus estudos.

Em Votuporanga fez o Vestibular para o Ingresso ao Curso Normal. Em Mirassol formou-se professora. Foi a única da turma a não comparecer ao baile de formatura, por falta de roupa de formatura. Não lhe importava. Tinha seu diploma e isso sim, era importante!

Queria fazer curso superior, mas teve de dar aulas para ajudar em casa. Depois de casada fez o Curso de Aperfeiçoamento, quando ganhou Cadeira-Prêmio, por ter tido a nota mais alta  da escola:> 9,9. A seguir, já com filhos pequenos, iniciou os estudos superiores.

Somente aos 32 anos de idade, descobriu que escrevia de maneira diferente dos demais. Até então, acreditava que todos tivessem a mesma facilidade para redigir. Mesmo assim, demorou muitos anos para que tivesse tempo de passar suas criações para o papel.

 

Local e data de nascimento:Junqueira, município de Monte Aprazível – SP – aos 17 de janeiro de 1943.

Profissão: Professora I, II e III, aposentada em 31 de janeiro de 1991.

CIC: 031 525 818-74

RG: 4 407 966

Endereço: Rua Armando Sales de Oliveira, 19-43 – Centro – Mirassol – SP – CEP: 15130 000

Telefone: 17 3242 1437

Estado civil: casada

 

Seu maior tesouro:

Filhos: Fernando (saudade), Nicinha, Otavinho, Adolfo.

Netos: Otavinho III, Maria Luísa, Emmanuel, Lucius e Daniel.

Bisneta: Maria Cecília

FORMAÇÃO:

Graduação

  • Pedagogia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de S. José do Rio Preto (FAFI; hoje, UNESP);
  • Estudos Sociais I na Faculdade de Educação de Monte Aprazível (FEMA);
  • Estudos Sociais II na Faculdade Riopretense de Filosofia em S. José do Rio Preto (FARFI);
  • Geografia (Licenciatura Plena) na Faculdade de Filosofia de Catanduva (FAFICA);
  • Orientação Educacional, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de S. José do Rio Preto (FAFI);
  • Supervisão Escolar para Escolas e 1º e 2º Graus, na Faculdade de Filosofia de Votuporanga;
  • Administração Escolar de 1º e 2º Graus, na Faculdade de Educação de Monte Aprazível (FEMA).

Especialização

  • Ensino das Disciplinas e Atividades Práticas dos Cursos Normais: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de São José do Rio Preto;

Aperfeiçoamento

  • Colégio Estadual e Escola Normal Anísio José Moreira, em Mirassol, obtendo medalha de ouro “Honra ao Mérito” através da Fundação Cândido Brasil Estrela: a melhor nota do Brasil: 9,9 fazendo jus ao prêmio estadual “Cadeira Prêmio”, que naquele ano (1965), deixou de existir.

Outros

  • Normal no Instituto de Educação Anísio José Moreira, em Mirassol;
  • Técnico em Contabilidade na Escola Técnica de Comércio D. Pedro II, em S. José do Rio Preto;
  • Ginásio no Ginásio Estadual de Uchoa;
  • Primário no Grupo Escolar de Potirendaba e Grupo Escolar de Cedral;
HABILITAÇÔES:
  • Geografia,
  • Psicologia da Aprendizagem,
  • Didática do Ensino,
  • Filosofia do Ensino,
  • OSPB (Organização Social e Política Brasileira),
  • EPB (Estudos dos Problemas Brasileiros),
  • EMC (Educação Moral e Cívica).
ATIVIDADES PROFISSIONAIS NO EXERCÍCIO DO MAGISTÉRIO
  • Diretora de Escola nas seguintes unidades escolares:
    • Escola Estadual de Primeiro Grau Prof. Lauro Rocha,
    • Escola Estadual de Primeiro Grau de Ruilândia.
  • Vice Diretora de Escola nas seguintes unidades escolares:
    • Escola Estadual de Primeiro Grau Bartyra de Aquino Noronha,
    • Escola Estadual de Primeiro Grau Prof. Lauro Rocha.
  • Professora Efetiva I, II e III. Aposentada desde 31 de janeiro de 1991.
  • Professora Substituta Efetiva na Rede Estadual, na Escola Edmur Neves, em Mirassol;
  • Professora Polivalente
    • Escola Mista do Córrego dos Patos, em Urânia;
    • Escola de Emergência da Fazenda Pais Leme, em Santa Albertina;
    • Escola Mista da Fazenda Curti, em Mirassol;
    • Escola Mista da Fazenda Três Barras, em Mirassol;
    • Escola de Emergência do Sertão dos Inácios, pertencente a Mirassol;
  • Professora de Artes no Colégio São Paulo, em Mirassol;
  • Professora de Redação na Escola Lucy Sicard Neves, em Mirassol.
  • Professora de Geografia, OSPB e Estudos Sociais na Escola Anísio José Moreira, em Mirassol;
  • Professora Particular de Matemática na Residência do Sr. Prof. Jorge Mattar, em Mirassol.
PUBLICAÇÕES

Autora dos seguintes Livros

  • Título: “Depois do suicídio..”, DPL Editor e Distribuidora de Livros Ltda. – São Paulo – 148 pg.
  • Título: “Depois do aborto..”, DPL Editor e Distribuidora de Livros Ltda. – São Paulo – 178 pg.
  • Título do livro para-didáticoO guarda – noturno”, Editora do Brasil – São Paulo – 72 pg.

Autora dos seguintes Livros Didáticos:

  • Título: “Professora de Papel – Histórias para Alfabetiza” – método independente composto e impresso na Miragraf Mirassol Gráfica Ltda. É composto pelos seguintes títulos:
    • Professora de Papel – Histórias para Alfabetizar” Manual da professora – 196 páginas;
    • Professora de Papel – Histórias para Alfabetizar” Manual do Aluno – 153 páginas;
    • “Professora de Papel” – Novas Leituras – 98 páginas.
      • OBS: Trata-se de um método independente criado dentro de sala de aula, atendendo profundamente nossas crianças, pois conhece suas necessidades e deficiências. Alcança alfabetizar dentro de um só ano letivo, sem deixar resíduos de aprendizagem para os anos posteriores. É o único idealizado para crianças com deficiência no aprender. Em uso em Clínicas de Fonoaudiologia, em Escolas de Educação Especial para Deficientes Auditivos, em classes para Deficientes Mentais, em escolas de todos os estados do Brasil. Encontra-se em uso também fora do país: Japão, Itália, Portugal, Inglaterra e Estados Unidos, em colônias de brasileiros residentes nos referidos países.
  • Título: “Festa na Escola” – obra para comemorações de eventos cívicos escolaresEdição independente – Miragraf Mirassol Gráfica Ltda. – 137 páginas

Outras publicações

  • Título: Depois do suicídio…, folheto de 20 páginas com distribuição gratuita a nível nacional e internacional. Republicado por CVVs, Polícia Militar de S. Paulo, Centros Espíritas e particulares, sempre com o propósito de salvar pessoas da morte voluntária.

Co-autora

  • Participação, com o conto “A última viagem”, no livro “19 Contos”, antologia da Editora Verso, organizada pelo SENAC e lançado durante a Bienal do Livro em S. J. do Rio Preto, em 1987;
  • Participação no livro “As mães de Chico Xavier”, de Saulo Gomes pela Intervidas – 2011.

Artigos em Jornais:

  • Título: “Quem matou Tuca?”, que motivou um programa de TV: Globo Repórter: “Ditadura da Balança”, em julho de 1977.
  • Título: “Carta Aberta ao Governador” ao então Governador Paulista Paulo Salin Maluf, no jornal Folha de S. Paulo em 1979; republicada em jornais de todo o Brasil, lida e comentada em programas de rádio e TV, entre estes: Hebe Camargo e Flávio Cavalcanti.
  • Título: “Faltas abonadas”, publicada pela Folha de S. Paulo, que levou a uma série de artigos dirigidos ao então Governador Paulo Salin Maluf e que motivou o fim dos atestados médicos nas faltas abonáveis dos professores de escolas estaduais, na década de 80.
  • Título: “Causas da Decadência da Educação”, série de 11 artigos no “Jornal dos Professores” após pesquisa de 3 anos realizada entre alunos, pais, professores, diretores e pessoas ligadas à Educação.
  • Título: “Nos caminhos da Mata Una – Mirassol, 100 anos de Histórias”.

Artigo em Revista Internacional

  • Título:Oração do Ciclista” – na Revista Seleções do Reader’s Digest, em dezembro de 1977, página 93, sendo a primeira mulher brasileira a publicar nesta revista americana, para 84 países, em 13 idiomas.

Atualmente compondo e aplicando o método de alfabetização para adultos e idosos, sob o título: Alfabetizando Gente Grande”.

PALESTRAS:
  • Título:Aborto não!” em escolas de Segundo Grau, clubes de jovens e Centros Espíritas.
  • Título:Suicídio não!” em Centros Espíritas e clubes de jovens.
  • Título: Alfabetização e Fonética
    • Para Professores e Especialistas de Educação:
      • Escolas comuns Públicas e Particulares
    • Para professores de classes especiais:
      • Deficientes Auditivos e Deficientes Mentais
    • Para estudantes:
      • Faculdades de Pedagogia e Cursos de Magistério.
    • Secretaria Estadual de Educação nos Estados de Sergipe e Mato Grosso.
  • Já atendeu a mais de 400 convites para ministrar cursos e palestras em 190 cidades de sete estados:
    • São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Bahia e Sergipe.
INSERÇÃO EM PROGRAMAS DE TV:
  • Entrevistas jornalísticas nos programas:
    • “Momento do voto”, TV Globo em 1988, devido ao Movimento Moralizador da Política por ela criado, objetivando esclarecer a população sobre a importância do voto;
    • “Ditadura da Balança” TV Globo em 1977, sobre os regimes de emagrecimento que levam à morte.
OUTROS
  • Promotora, em 83, na FLE (Fundação para o Livro Escolar), de encontros com escritores, proprietários e representantes de editoras do livro didático, onde expôs suas insatisfações quanto à qualidade do livro didático.
MEMBRO DE ENTIDADES E ORGANIZAÇÕES
  • Membro da UBE: União Brasileira de Escritores.
HOMENAGENS:
  • Título Honra ao Mestre, pelas Escolas Porfírio Pimentel e Conselheiro Rodrigues Alves, em Macaubal.
  • Homenageada “Professora do Ano” pelo CPP mirassolense, em 96.
  • Laureada com o 1º troféu “Mérito Cultural” em 19/4/96, pelo Rotary Club e Fundação Cândido Brasil Estrela, em Mirassol.
  • Homenageada pelo Rotary Club 8 de Setembro, em julho de 98, pelo Dia do Escritor.
  • Homenageada no papel de “Escritora Mirassolense” pela Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Mirassol.
  • Homenageada “Escritora de Destaque”, na Noite de Homenagens em 98.
  • Homenagem na Câmara Municipal de Mirassol, pelo Dia da Mulher, em 8 de março de 2006.
  • Homenagem pelo Rotary Club, pelo Dia da Alfabetizadora em 8 de Setembro, em setembro de 2006.
  • Homenagem no Clube da Terceira Idade “Encontro com a Felicidade” em 12/12/2007, pelo trabalho de alfabetização de idosos que vem realizando voluntariamente em Mirassol, desde 2003.
  • Homenageada com o Título “Cidadã Mirassolense” em dezembro de 2008 pela Câmara Municipal, indicação do Vereador José Maria Guarnieri, o Bil Guarnieri.
PLANTANDO ESCOLAS
  • Aos 60 anos, em 2003, Cleunice começou a plantar escolas. São classes para Alfabetização de Idosos, denominados Núcleos. São salas de aula nos diferentes bairros para ensinar Leitura e Escrita à Terceira Idade. As professoras foram verdadeiras heroínas a trabalhar voluntariamente em benefício de velhinhos anônimos que nunca se sentaram numa cadeira escolar e cujo maior sonho é aprender a ler.
  • Cleunice plantou 12 Núcleos na cidade de Mirassol, das quais apenas uma está em atividade: Núcleo da 3ª Idade, na qual ela própria leciona.
PINTURAS ÓLEO SOBRE TELA
  • Cleunice Orlandi de Lima teve seu primeiro contato com o universo da pintura aos 11 e 12 anos ainda na escola, em Uchôa, interior do estado de São Paulo. Aos 16 anos, através da amiga Luzia Caran, de São José do Rio Preto, tornou-se discípula de dois grandes mestres das artes plásticas rio-pretense: Cláudio Malagoli e Antonio Portella.
    Desde então, apesar de sua longa e ativa vida acadêmica, lecionando em cidades vizinhas e escolas rurais, esposa e mãe, nunca perdeu o seu amor pela pintura, desenvolvendo continuadamente estudos e técnicas em períodos intercalados.
    Em seu aconchegante atelier pessoal, respira-se literatura e pintura. Dons que bem sabe cultivar com esforço e dedicação. Letras e cores transbordam de sua alma, de sua imaginação. Servindo-se da arte que em essência rompe e transpõe barreiras, com naturalidade ela tem dado vazão ao seu sincero e intenso desejo em oferecer sua parcela de colaboração para tornar o nosso mundo melhor.
    Cf. — PinturasClássicasComBr
Curriculum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *